quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Please allow me to introduce myself, I'm a man of wealth and taste...


Olá, meus jovens.

Para aqueles interessados em algo diferente para ler (e especialmente para aqueles que seguiram minha sugestão de ler Sandman), venho trazer mais uma sugestão para alegrar suas noites mal dormidas, assim como alegraram as minhas.Mas um aviso: se não leu Sandman, e pretente ler, cuidado com o que vai ler abaixo, pois tem spoilers sobre a série.


Falar da série É falar do personagem... Lúcifer é uma graphic novel que mostra o anjo caído após ter abandonado o inferno e montado seu bar de luxo em Los Angeles. Entretanto, abdicar de seu posto não o fez abandonar seus poderes, tornando o Portador da Luz ( uma das traduções de seu nome, para quem não sabe) um dos seres mais poderosos dessa existencia, abaixo apenas de seu pai e igual apenas a seu irmão, Michael. Ao contrário do que a maior parte das obras mostra, aqui o tema principal não é um conflito maniqueísta do Bem contra o Mal, mas uma aproximação mais humana. A busca de Lúcifer não é dominar a existencia, roubar as almas de todos, destruir o Reino de Deus ou qualquer coisa similar. Sua busca, que é o tema da série, é apenas uma: Liberdade. Logo, quando foi "expulso" com um terço das hostes celestes, não foi por querer apenas tomar o lugar de seu pai, mas sim por não querer ser mais um fantoche no jogo celeste. Entretanto, descobrimos que esta busca é mais dificil que parece, ja que mesmo um ser quase onipotente como Lúcifer encontra dificuldades suficientes para preencherem todas as 75 edições. Mas não vou entregar o ouro antes da hora... Para aqueles que gostam de comics adultos, mitologia e boas histórias, fica a dica.

Para deixar uma palhinha, vou colocar aqui só duas partes do diálogo entre Lúcifer e Sonho quando o anjo caído fecha o inferno na série Sandman:


Lúcifer: Você me conheceu quando eu era um anjo. Como eu era?
Sonho: Você era muito orgulhoso, Samael. Mas também era muito belo, e sábio, e passional.
L: Eu era?Sim. Sim. Eu era. Eu me importava com tantas coisas. Eu suponho que foi por isso que tudo começou tão errado. Você sabe - eu ainda me pergunto quanto de tudo isso foi planejado, quanto de tudo Ele sabia de antemão. Eu achava que estava me rebelando. Eu pensava que estava desafiando seu reinado. Não. Eu estava apenas cumprindo outro pequeno segmento de seu grande e poderoso plano.(...) Por que eles culpam a mim pelos seus defeitos? Usam meu nome como se eu passasse o dia inteiro instigando-os a cometerem atos que, de outra forma, achariam repulsivos. "O demônio me forçou". Nunca forcei ninguém a fazer nada. Nunca. Eles vivem suas vidas medíocres. Eu não as controlo de maneira alguma.
Então eles morrem, vêm para cá (tendo transgredido o que acreditavam ser certo) e esperam que seus desejos de dor e retribuição sejam satisfeitos por nós. Eu não os faço vir para cá. Eles falam de mim como se eu andasse por aí comprando almas na feira, e nunca pararam para se perguntar por quê. Eu não preciso de almas. E como alguém pode comprar uma alma? Não. Eles pertencem a si mesmos... Mas odeiam ter que encarar o fato.(...)
S: E o que VOCÊ vai fazer agora?
L:(...) Isso não importa. Já tive o suficiente da minha vida antiga, e é com isso que eu me importo. Talvez essa seja a liberdade definitiva, hein Sonho? A liberdade de partir.

Obs: Só para constar, para quem quiser tem para baixar no blog da Vertigem, http://hqvertigem.blogspot.com/

5 comentários:

  1. agora eu entendi pq o post seria bem cristão! :P

    ResponderExcluir
  2. agora o "meus jovens" não deu pra passar despercebido!

    ResponderExcluir
  3. quantos anos vc tem, tio?! hahahahaha

    ResponderExcluir
  4. Quantos anos eu tenho? Hum... todos!(pelo menos de mentalidade... antediluviano é pouco! auhauhauhuahua!)

    ResponderExcluir