domingo, 27 de setembro de 2009

Conversa inusitada

Todo estudante de Psicologia já deve ter passado por isso. Conversa vai, conversa vem, você se identifica, e pronto. Sem perceber você está atendendo (pelo menos isso é o que o outro acha).


No terminal de ônibus, indo para a faculdade, sentei ao lado de uma senhora. No caminho...

Senhora: Ai que fome! Eu ainda tenho que fazer almoço pro meu filho... e você, vai almoçar?
Eu: Não, ainda não. Vou pra faculdade e só depois vou almoçar.
Senhora: Ah é? Você estuda o que?
Eu: Psicologia.
[Um tempo em silêncio]
Senhora: Eu vou me separar do meu marido.
Eu: ... [cara de interrogação]
Senhora: Ele bebe muito, só dá trabalho.
Eu: Hum. Faz quanto tempo que a senhora está casada?


E assim eu deixei a senhora falar sobre o que queria. A conversa deu tantas voltas que travou no assunto religião. Considerando aquela como uma conversa "normal" entre duas pessoas, respondi o que ela me perguntava.

Sempre me contavam sobre situações similares, mas como nunca havia acontecido comigo...
Agora sei o que acontece quando se diz que é Psicólogo, Médico, entre outros [ou também estudante de].

Um comentário:

  1. Poderi ser pior... poderiamos incentivar a conversa usando o chavão "fale mais sobre isso" e com aquela cara de intelectual... ai sim ia ser divertido! uahuahuaauhau!!!

    ResponderExcluir